The Voice Of The People

sábado, 27 de dezembro de 2014

Tratamento Igual Para Todos

Um dia durante minha viagem de casa para o trabalho, entrou um homem no ônibus em que eu estava. Esse homem começou a falar algumas palavras e muitas pessoas não deram a mínima, ele não estava bem vestido, sua aparência era de alguém que já havia sofrido bastante na vida, ele contava um pouco de sua história e disse que era um ex-usuário de drogas. Ele contou como a palavra de Deus o livrou das drogas, e que agora era um homem livre. Uma frase que ele disse eu nunca vou esquecer: “Se colocássemos um único versículo da Bíblia em prática na nossa vida, veríamos a transformação positiva que ela sofreria”. Isso é a mais pura verdade, esse homem era um conhecedor da palavra e tem comprovado em sua vida o poder de Deus. Esse Livro Sagrado contém os maiores e melhores ensinamentos, contém o mistério da vida, da nossa liberdade e salvação. Diariamente eu procuro ler a palavra e principalmente, colocá-la em prática na minha vida, o que devemos saber de verdade está escrito nessas páginas, só a palavra de Deus pode nos dar a verdadeira sabedoria. Por isso tenho procurado compartilhar essas mensagens e mostrar como ela pode nos libertar de todos os males e nos dar o melhor da vida.
Essa semana trago a mensagem do livro de Tiago, que diz que todos devem ser tratados da mesma forma, independente de sua aparência ou características sociais. Hoje o mundo vive em constante conflito por diferentes religiões, crenças, classe social, etnia, não são aceitas as diferenças e essa guerra constante já matou milhões de pessoas. A palavra existe a milhares de anos para nos mostrar qual é o caminho, para nos ensinar a viver, a respeitar, a amar o próximo, mas temos feito tudo diferente, leiam e reflitam a respeito do que estamos vivendo, chegamos a mais um fim de ano, onde a violência e a intolerância tem crescido, que tal começarmos 2015 com um pensamento diferente e com a palavra presente nos nossos dias, principalmente transformadas em ação, lembrem-se que a mudança começa em nós mesmos. Feliz 2015 família, que Deus dê o melhor para cada um de vocês e suas famílias, PAZ E BEM!

Meus irmãos, vocês que creem no nosso glorioso Jesus Cristo, nunca tratem as pessoas de modo diferente por causa da aparência delas. Por exemplo, entra na sala de reunião de vocês um homem com anéis de ouro e bem vestido, e entra também outro, pobre e vestindo roupas velhas. Digamos que vocês tratam melhor o que está bem vestido e dizem: “Este é o melhor lugar; sente-se aqui”, mas dizem ao pobre: “Fique de pé” ou “Sente-se aí no chão, perto dos meus pés”. Nesse caso vocês estão fazendo diferença entre vocês mesmos e estão se baseando em maus motivos para julgar o valor dos outros.
Escutem, meus queridos irmãos! Deus escolheu os pobres deste mundo para serem ricos na fé e para possuírem o Reino que ele prometeu aos que o amam. No entanto, vocês desprezam os pobres. Por acaso, não são os ricos que exploram vocês e os arrastam para serem julgados nos tribunais? São eles que falam mal do bom nome que Deus deu a vocês.
Se vocês obedecerem a lei do Reino, estão fazendo o que devem, pois nas Escrituras Sagradas está escrito: “Ame os outros como você ama a você mesmo.” Mas, se vocês tratam as pessoas pela aparência, estão pecando, e a lei os condena como culpados. Porque quem quebra um só mandamento da lei é culpado de quebrar todos. Pois o mesmo que disse: “Não cometa adultério” também disse: “Não mate”. Mesmo que você não cometa adultério, será culpado de quebrar a lei se matar. Falem e vivam como pessoas que serão julgadas pela lei que nos dá a liberdade. Quando Deus julgar, não terá misericórdia dos outros. Mas as pessoas que tiveram misericórdia dos outros não serão condenadas no Dia do Juízo Final. (Tiago 2: 1-13).

Download da Semana (66) – The Green – Hawai’i ’13

Nesse clima de fim de ano e a chegada do verão, nada mais propício do que trazer o som de uma banda de reggae diretamente do Havaí para o nosso download. The Green é uma banda que une o tradicional reggae roots a outros gêneros como R&B, pop, rock e música havaiana. O som da banda é muito positivo, a cara do verão, praia, parque, esportes e tudo o que os dias de sol nos proporcionam. Destaco ótimos sons como “Good One”, “Always & Forever”, “Take Me On”, “Something About It”, “Hold Me Tight”, “Good Vibe Killah” e “Power In The Words”. Baixem o ótimo Hawai’i ’13!

sábado, 20 de dezembro de 2014

O Poder do Perdão

Por que é tão difícil perdoar? Temos um obstáculo chamado orgulho que nos prende de tal forma, que não conseguimos enxergar como grandioso é o valor do perdão. Deixamos o nosso ego falar mais alto, achamos que é uma fraqueza perdoar ou pedir perdão. Mas digo a vocês que perdoar é grandioso, é valioso, é de Deus.
Quem ama perdoa, e isso mostra o quanto Deus nos ama, pois entregou o seu único filho à morte para que fossemos perdoados e salvos.

Porque Deus amou o mundo tanto, que deu o seu único Filho, para que todo aquele que crer não morra, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16).

“Mas Deus nos mostrou o quanto nos ama: Cristo morreu por nós quando ainda vivíamos no pecado.” (Romanos 5:8).

Jesus Cristo foi, ou melhor, é perfeito. Ele foi capaz de perdoar aquele que o trairia, Ele acolheu abraçou e alimentou aquele que o decepcionaria ao máximo e o entregaria para a morte. Foi o que Judas fez, Jesus sabia o que aconteceria naquela noite, mas durante a ceia Jesus o alimentou assim como fez com os outros discípulos, o tratou da mesma forma. Que ser humano seria capaz de agir dessa forma sabendo de uma traição que sofreria ou sofreu de alguém. Pelo contrário, nós seríamos duros, sectários, brigaríamos ou seríamos capazes de atitudes ainda piores. Mas Jesus desenvolveu os princípios da resiliência, do alto-controle, do amor. Ele foi capaz de acolher todos aqueles que eram rejeitados, mal vistos ou vestidos, considerados inválidos para a sociedade. Assim como rejeitamos muitos pela aparência ou situação hoje em dia, não é verdade?
Como esquecer ainda daquele homem que foi crucificado ao lado de Jesus Cristo, um criminoso que pediu para que Jesus se lembrasse dele quando viesse como Rei; e Jesus afirmou: “hoje ainda você estará comigo no paraíso”. Jesus abraçou todos aqueles que o mundo rejeita e nos libertou dos nossos pecados, e nós não conseguimos perdoar aqueles que vivem ao nosso redor, será que estamos agindo certo ou somos dignos de perdão?

“Um dos criminosos que estavam crucificados ali insultavam Jesus, dizendo:
- Você não é o Messias? Então salve a você mesmo e a nós também!
Porém o outro o repreendeu dizendo:
- Você não teme a Deus? Você está debaixo da mesma condenação que ele recebeu. A nossa condenação é justa, e por isso estamos recebendo o castigo que merecemos por causa das coisas que fizemos; mas ele não fez nada de mau.
Então disse:
- Jesus, lembre de mim quando o senhor vier como Rei!
Jesus Respondeu:
- Eu afirmo a você que isso é verdade: hoje você estará comigo no paraíso.” (Lucas 23: 39-43).

Ninguém é tão perfeito ou chega perto de ser 1% do que Jesus Cristo é, então porque insistimos em alimentar esse orgulho que só nos afasta das pessoas e das coisas boas que poderíamos estar vivendo se perdoássemos o próximo.
Pais brigam com filhos, irmãos brigam entre si, famílias se dividem, amigos ficam anos sem se falar, e por aí vai. Às vezes por motivos pequenos, que não vale a pena levar adiante. Um perdão mudaria essas situações, mas aí entra o motivo de orgulho, que impede dias, semanas e até anos de convivência. Perdem-se grandes momentos, grandes histórias, pior ainda é quando uma das partes se vai, aí perde-se muito mais e fica algo chamado remorso. O orgulho não nos leva a lugar algum.
Devemos desenvolver os princípios do perdão, deixando a raiva e o orgulho de lado, assim possibilitamos o que é bom se aproximar, assim estaremos mais próximos de quem amamos, estaremos mais próximos de Deus.

“Abandonem toda amargura, todo ódio e toda raiva. Nada de gritarias, insultos e maldades! Pelo contrário, sejam bons e atenciosos uns para com os outros, assim como Deus, por meio de Cristo, perdoou vocês.” (Efésios 4: 31-32).

Quando você perdoa ou pede perdão, você se liberta e dá liberdade, o perdão é uma forma de amar e ser amado. Quando perdoar, esqueça tudo que ficou para trás, tudo tem que ser esquecido de verdade, a história que o separou de alguém já não deve mais ser lembrada, para que não venha a estragar novamente essa relação, o perdão tem que ser verdadeiro e por completo, o perdão tem que vir do coração.

“Quem perdoa uma ofensa mostra que tem amor, mas quem fica lembrando o assunto estraga a amizade.” (Provérbios 17:9).

“Lembrem das palavras do Senhor Jesus: É mais feliz quem dá do que quem recebe.” (Atos 20:35).

Diante da palavra de Deus e dos atos do Nosso Senhor Jesus Cristo, não existe motivos para continuarmos afastados de outras pessoas, seja qual for o motivo. Perdoar mostra que todos somos passíveis de erro e que podemos consertá-los, mostra a nossa humanidade e que somos seres imperfeitos; perdoar também mostra que temos amor pelo próximo, por nós mesmos e principalmente por Deus. A Palavra deve se tornar ação em nossas vidas, a Palavra torna a nossa vida melhor e de todas aquelas que vivem ao nosso redor. A Palavra é Amor, a Palavra é vida! Amém!

“Quem ama é paciente e bondoso. Quem ama não é ciumento, nem orgulhoso, nem vaidoso. Quem ama não é grosseiro nem egoísta; não fica irritado, nem guarda mágoas. Quem ama não fica alegre quando alguém faz o que é errado, mas se alegra quando alguém faz o que é certo. Quem ama nunca desiste, porém suporta tudo com fé, esperança e paciência.
O amor é eterno. Existem mensagens espirituais, porém elas durarão pouco. Existe o dom de falar em línguas estranhas, mas acabará logo. Existe o conhecimento, mas também terminará. Pois os nossos dons de conhecimento e as nossas mensagens espirituais são imperfeitos. Mas quando vier o que é perfeito, então o que é imperfeito desaparecerá.
Quando eu era criança, falava como criança, sentia como criança e pensava como criança. Agora que sou adulto, parei de agir como criança. O que agora vemos é como uma imagem imperfeita no espelho embaçado, mas depois veremos face a face. Agora o meu conhecimento é imperfeito, mas depois conhecerei perfeitamente, assim como sou conhecido por Deus. Portanto, agora existem estas três coisas: a fé, a esperança e o amor. Porém a maior delas é o amor.” ( 1 Coríntios 13: 4-13).

Download da Semana (65) – Groundation – A Miracle

O download da semana é o mais novo trabalho da banda norte americana Groundation. Não costumo postar trabalhos muito recentes das bandas, mas esse caso em especial tive alguns motivos para postar, explico quais e por que. A primeira vez que ouvi um dos sons desse álbum logo senti a força dessa obra, emoções fortes e positivas que traduzem o que a banda quis passar nesse novo trabalho, o amor e a vida. Como muitos não tem acesso a comprar sons digitais e esse álbum de reggae e muitos outros não chegam em lojas físicas para o Brasil e alguns outros países, a não ser através de exportação com altíssimas taxas alfandegárias e impostos. Decidi então postar para que ele possa chegar ao maior número de pessoas possíveis, pois é um trabalho muito forte, brilhante e positivo. Outro motivo é a época do ano, uma das melhores e mais importantes, onde estamos com nossas famílias e amigos compartilhando um grande momento e celebrando o nascimento de Jesus Cristo, através da união, da paz e do amor. Mas aqueles que puderem adquirir, por favor, contribuam, pois além de valer muito a pena ter esse álbum, ajuda também a manter as bandas e o reggae que é tão barrado em algumas mídias.
Continuando, esse é o oitavo álbum de estúdio da banda, chamado “A Miracle” (Um Milagre). Dedicado à força da mulher e ao milagre da vida, conforme ilustrado na capa onde há uma mulher grávida, o álbum traz o peso da banda, com uma base de Dub, SKA e os improvisos marcantes que é uma característica do Groundation, que exploram um lado mais Roots e maduro, além das belíssimas participações de Marcia Griffiths e Judy Mowatt, que formavam as “I Threes”, vocais de apoio de Bob Marley.
O álbum possui dez canções fortes e hipnotizantes e que sem dúvida vai marcar. Baixem e apreciem essa obra prima do Groundation, o nosso presente de Natal para os apaixonados pela música reggae. E UM FELIZ NATAL!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Emancipe-se da Escravidão Mental

Pior do que se libertar do sistema, é se libertar de pessoas que já aderiram a ele. É importante trabalhar, crescer, conquistar, isso constrói a dignidade do ser humano e lhe dá o prazer da conquista com o próprio esforço. Isso também aumenta a estima e proporciona maior prazer em viver.

“É claro que alcançar um objetivo pode deixar você feliz, mas essa felicidade pode ser passageira. Uma felicidade que dura não é baseada somente no que você conquista ou adquire. Assim como a boa saúde, a verdadeira felicidade depende de uma serie de fatores.”

Mas algumas pessoas já viraram robôs e a única coisa que conseguem enxergar é o
trabalho, o dinheiro e os bens materiais; garanto que a vida não gira só em torno disso. O seu trabalho no escritório não pode te salvar, o seu dinheiro não pode te salvar, muito menos a quantidades de bens que possui. Tudo isso é necessário para vivermos hoje, é até “obrigatório”, pois vivemos em um mundo capitalista, onde tudo gira em torno de dinheiro e poder.
Se você parar para pensar, o sistema te aprisionou, criando necessidades para a sua vida e sobrevivência, você praticamente paga para viver (e nem sempre pode ter o melhor), está preso em rotinas estressantes, loucos para que mais uma semana passe rápido para que você possa aproveitar mais um fim de semana. Você diz que os dias estão passando rápido, e estão mesmo, os anos voam. A pressa é muita, as dividas e preocupações também, a rotina é desgastante, o tempo é pouco, e quando você perceber, só viveu para o trabalho, para o sistema, esquecendo o quão valioso era o seu tempo, a sua vida.

“- Prestem atenção! Tenham cuidado com todo tipo de avareza porque a verdadeira vida de uma pessoa não depende das coisas que ela tem, mesmo que sejam muitas.
Então Jesus contou a seguinte parábola: grande colheita. Então ele começou a pensar: ‘Eu não tenho lugar para guardar toda esta colheita. O que é que vou fazer? Ah! Já sei! – disse para si mesmo. – Vou derrubar os meus depósitos de cereais e construir outros maiores ainda. Neles guardarei todas as minhas colheitas junto com tudo o que tenho. Então direi a mim mesmo: ‘Homem feliz! Você tem tudo de bom que precisa para muitos anos. Agora descanse, coma, beba e alegre-se.’ Mas Deus lhe disse: ‘Seu tolo! Esta noite você vai morrer; aí quem ficará com tudo o que você guardou?’
“Jesus concluiu: - Isso é o que acontece com aqueles que juntam riquezas para si mesmos, mas para Deus não são ricos.” (LUCAS 12: 15-21)

O único meio de obtermos a salvação e uma vida verdadeiramente feliz, é nunca esquecermos o poder de Deus, sendo sempre gratos a ele, só por meio de Jesus Cristo somos salvos, mas muitos já se esqueceram disso. Principalmente os que são adeptos do sistema, e não enxergam nada além do dinheiro (acho que os que oram só pedem bens materiais e beneficio próprio). Que se esqueceram do próximo, que esqueceram o que Jesus Cristo fez por nós.
Trabalhe, conquiste. Mas seja sempre correto, seja grato e nunca se esqueça de dedicar um tempo ao Nosso Senhor, a família, ao próximo. Esse tempo é valioso, esse tempo é o que mais te dará prazer em viver, esse tempo é o que pode te salvar.

“Ame os outros como você ama a você mesmo.” (Tiago 2: 8)

“O meu mandamento é este: amem uns aos outros como eu amo vocês.” (João 15: 12)

Nós devemos lutar para sermos totalmente livres do sistema. Deus nos deu a liberdade, não nos obrigou a seguirmos Ele, Deus nos deu o livre arbítrio (mas quem conhece o seu poder não quer ficar longe Dele). O homem sim nos escravizou, com dinheiro, consumismo, ódio, ganância, guerras, poder. Os maiores males do mundo giram em torno do dinheiro, dizem que ele é solução, mas por ele homens matam, se dividem, destroem o meio ambiente, espelham terror, aprisionam e tornam o mundo um caos.
Nós que seguimos a música reggae, tentamos passar essa mensagem para o próximo, buscamos nos libertar da rotina, do sistema no nosso dia a dia. Não é fácil, mas se desistirmos, tornamos isso mais fácil para “eles”, que usufruem do que pagamos, do que trabalhamos, do que conquistamos. E se desistirmos perdemos almas, perdemos seguidores do bem, seguidores de Deus. Se desistirmos possibilitamos que o sistema aprisione outras mentes, outras pessoas. Não desistimos por que não queremos salvar só a nós mesmos, mas queremos a salvação para todos.
Saia da programação; tire um tempo para você, para sua família, para ajudar o próximo. Tire um tempo para ser livre, tire um tempo para viver, tire um tempo para Deus!
Pois foste morto na cruz e, por meio da tua morte, compraste para Deus pessoas de todas as tribos, línguas, nações e raças. Tu fizeste com que essas pessoas fossem um reino de sacerdotes que servem ao nosso Deus; e elas governarão o mundo inteiro. (Apocalipse 5: 9-10)

Download da Semana (64) – SOJA – Born in Babylon

O download da semana traz a banda norte americana SOJA (Soldiers of Jah Army), a banda de reggae mais popular da atualidade, e não à toa. Esse ano com o lançamento de “Amid The Noise and Haste”, eles entraram na disputa pelo premio de Melhor Álbum Reggae do Ano pelo Grammy Awards, a concorrência é forte, mas esse álbum tem uma qualidade incrível e pode trazer o primeiro Grammy para a banda, já que o álbum anterior “Strenght to Survive” chegou bem perto e também esteve entre os melhores de 2012. Enquanto aguardamos o resultado que só sai em fevereiro, apesar da propaganda, vou disponibilizar outro grande sucesso da banda, “Born in Babylon” (Nascido na Babilônia), que complemente o nosso tema da semana. Esse álbum foi lançado em 2009 e traz grandes sucessos como “I Dont Wanna Wait”, “You and Me”, “Losing My Mind”, “Waking Up”, a título “Born in Babylon” essa versão ainda traz a faixa bônus "Rest of My Life" grande sucesso da banda.

sábado, 6 de dezembro de 2014

A Inveja Não Vai Entrar no Céu

A inveja pode envenenar a capacidade de uma pessoa de apreciar as coisas boas da vida.
Pela inveja se corrompe, se mata. Um dos casos mais conhecidos desse mal é a história bíblica dos irmãos Caim e Abel, onde Caim por inveja (ciúmes) de Abel acabou armando contra o irmão e o matou. Diante disso podemos ver como a inveja é repudiável, maligna. Esse mal que atravessou os milhares de anos desde a história dos filhos de Adão, Caim e Abel, até hoje persiste na mente de muitas pessoas, que muitas vezes nem percebem que estão alimentando esse mal. Ainda mais nesse mundo em que a pessoa é o que tem, onde um quer ser ou ter mais que o outro, e o SER passa despercebido.

EVITE A INVEJA – Revista Despertai! – Novembro de 2014 (pág. 5-6)

A inveja é definida como “desgosto e ódio provocado pelo sucesso ou pelas posses de outra pessoa” e “desejo intenso de possuir os bens de alguém ou de usufruir sua felicidade”. Assim como um tumor maligno, a inveja pode crescer a ponto de dominar a vida de uma pessoa e de acabar com a felicidade dela. O que leva alguém a ter inveja? Como você pode saber se tem essa característica? O que fazer para combatê-la?
A Enciclopédia de Psicologia Social (em inglês) observa que as pessoas costumam invejar as que têm uma situação parecida com a delas, como as que têm a mesma idade, experiência de vida ou cultura. Um vendedor, por exemplo, talvez não sinta inveja de um ator de cinema famoso, mas sim de outro vendedor mai bem-sucedido que ele.
Para ilustrar: alguns oficiais da corte da antiga Pérsia tinham inveja, não do rei, mas de outro oficial da corte, o sábio Daniel. Esses homens estavam tão infelizes com a presença de Daniel que chegaram a tramar a morte dele. Mas essa trama falhou. (Daniel 6: 1-24) A enciclopédia já mencionada diz: “É importante reconhecer a natureza hostil da inveja, pois isso explica por que a inveja está relacionada a tantos casos históricos de agressão.

Um notável caso histórico envolveu Jesus Cristo. Marcos 15: 10 relata que, “por inveja”, os principais sacerdotes entregaram Jesus para ser executado.

Como você pode saber se tem inveja? Pergunte-se: “Quando um dos meus colegas é bem-sucedido em alguma coisa, fico feliz ou frustrado? Se meu irmão, um colega da escola talentoso ou um colega de trabalho não se sai bem em algo, lamento ou comemoro?”. Se você respondeu “fico frustrado” e “comemoro”, é bem provável que esteja alimentando a inveja. (Gênesis 26: 12-14) De acordo com a Enciclopédia de Psicologia Social, “a inveja pode envenenar a capacidade de uma pessoa apreciar as boas coisas da vida e apagar o sentimento de gratidão por tudo de bom que acontece... Atitudes assim dificilmente contribuem para a felicidade”.
Você pode combater a inveja por cultivar genuína humildade e modéstia. Isso vai ajudá-lo a apreciar e valorizar as habilidades e qualidades de outros. A Bíblia diz: ‘Não faça nada por briga ou por egotismo, mas, com humildade mental, considere os outros superiores’. – Filipenses 2: 3.

“Não fiquemos egotistas, atiçando competição entre uns e outros, invejando-nos uns aos outros.” – Gálatas 5:26.

Quantas vezes já presenciamos ou vivemos casos onde alguém conquista algo e outra pessoa diz “foi sorte”, “como será que ele conseguiu isso?”, inúmeras vezes. Deveríamos ficar felizes pelas conquistas do próximo, parabenizá-los, e não achar meios de diminuir a sua vitória ou ficar se perguntando por que ele conseguiu e nós não. Isso é típico de inveja, que alimenta coisas ruins e nos diminui. Casos de violência são piores ainda, onde por inveja de outra pessoa que tem popularidade ou conquistas maiores, a pessoa a insulta com palavras ou cria uma forma para poder agredi-la. A inveja tem inúmeras formas de se mostrar e todas elas são inaceitáveis, repudiáveis, só trazem ódio, tiram o prazer de viver, e pode sim matar.
Não só estudos, mas experiências de vida comprovam que dar-se bem e querer o bem dos outros, contribui para a satisfação pessoal, para o ambiente em que se vive, para a saúde física. “A pessoa precisa amar e ser amada para ser realmente feliz”. – “Se eu... não tiver amor, nada sou”, disse um escritor bíblico. – Coríntios 13:2.
Todos nós temos a capacidade de cultivar o bem e o amor. Ao primeiro sinal de inveja ou ódio, expulse esses males de sua vida, e logo viverá uma vida verdadeira.

“Revesti-vos de amor, pois é o perfeito vinculo de união.” – Colossenses 3:14.

Texto baseado no artigo EVITE A INVEJA, da revista DESPERTAI! Edição de novembro de 2014. Inspirado pela música “Inveja” da banda RAÍZES QUE TOCAM.

Download da Semana (63) – Raízes que Tocam – Raízes que Tocam (Promocional)

O download da semana é uma “martelada” na cabeça do sistema, onde a banda Raízes que Tocam traz um álbum promocional com seus maiores sucessos e mais quatro canções inéditas. Conhecida por seu reggae pesado, a banda traz em suas letras belíssimas mensagens inspiradas pela Bíblia além da forte crítica ao sistema que nos domina, a banda nos chama a liberdade através de mensagens altamente positivas e divinas. Essa banda é demais! Aqui você vai encontrar sons como: “Levanta-te”, “Sabedoria”, “Inveja”, “Reggae Martelada”, “Heróis da Bíblia”, “História de Jesus” e muito mais.

sábado, 29 de novembro de 2014

Augustus e Addis Pablo – De Pai Para Filho

Horace Swaby, Mais conhecido como Augustus Pablo, nasceu no dia 21 de junho de 1954, em St. Andrew, Jamaica. Não só foi responsável por colocar a escaleta no mapa musical, mas também desempenhou um papel fundamental na história musical da Jamaica. Em seu papel como músico e produtor, ele ajudou a moldar o reggae, tanto que sua música pode ser facilmente descrita como “o som dos anos setenta”. Recentemente um dos jornais mais importantes do mundo o apontou como o maior tocador de melódica (escaleta) do mundo.
A lenda começou em 1969, quando o jovem Horace Swaby estava em pé na frente da loja
Augustus Pablo ainda jovem
de discos do produtor Herman Chin-Loy, Aquarius, na 9 Constant Spring Road, em Kingston, segurando uma escaleta que havia sido emprestada a ele por uma jovem. O instrumento era usado na Jamaica, em aulas de música da escola, mas nunca antes tinha sido levado a sério por músicos profissionais. Herman Chin-Loy, que tinha uma reputação muito merecida para a experimentação de novos sons, perguntou ao adolescente se ele poderia tocar um pouco, ele estava tão tomado com a resposta musical que reservou tempo de gravação na mesma semana no Randy´s Studio 17 na North Parade no coração da baixa Kingston. Com uma música intitulada “Iggy Iggy” Herman Chin-Loy deu a juventude sua estreia de gravação e mais significante ainda, um novo nome – AUGUSTUS PABLO – o que era estritamente novo para os últimos meses, Aquarius Record Labels apareceu esporadicamente carregando o crédito Augustus Pablo. Herman Chin-Loy havia cunhado um nome para adicionar uma medida de místico sobre a identidade dos tocadores de teclado.
Verão de 1977 em St. Ann
As sementes do que viria a se tornar o tom menor denominado “Far East” do futuro Augustus Pablo/Rockers foram semeadas. O Follow-up foi outro instrumental – o primeiro corte de “East of River Nile” – com Pablo alterando solos rudimentares mais assustadores sobre a escaleta e órgão ao longo de um riddim irregular. Com a idade de dezoito anos Augustus Pablo teve seu primeiro sucesso em “Randy´s” para Clive Chin, com a gravação de impacto “Java”, ele logo se estabeleceu através de seus lançamentos em sua própria “Hot Stuff” e o lendário selo “Rockers International”. Após o lançamento de “Skanking Easy” – uma atualização do Studio One Soul Vendors clássico “Swing Easy” – Augustus Pablo foi logo um dos líderes na próxima banda de artistas “rebeldes” e produtores independentes, como Lee “Scratch” Perry, Winston “Niney” Holness e Glen Brown, que estavam radicais e irreversivelmente redefinindo os parâmetros da música reggae.
Nesta época Pablo chegou a tocar teclado com os Wailers, mas preferiu investir em sua própria produção. Logo estaria alcançando voos mais altos, criando o seu próprio selo de gravação, o já citado “Rockers International” (assim chamado porque os registros foram promovidos no selo do seu irmão Rockers Sound-system, de Garth´s). Depois de alguns sucessos esporádicos, Pablo gravaria e entregaria para King Tubby mixar o disco que se tornaria a obra prima de ambos: “King Tubby Meets The Rockers Uptown”. Os irmãos Barret (do Wailers) e Robbie dando uma canja na bateria e baixo e os arranjos e matais de Bobby Ellis formaram a base ideal para as melodias de sabor oriental de Pablo e os “efeitos espaciais” da mixagem de Tubby, perfeitamente combinados neste que é o disco de Dub o qual todos os outros são e serão comparados.
Os próximos anos seriam os mais produtivos de sua carreira. Pablo dividiria o seu tempo entre os artistas que produzia e seus discos instrumentais, como “Pablo Meets Mr. Bassie”, também conhecido como “Original Rockers Vol. 2”, que traz belíssimos temas, como a comovente “Golden Seal” e a versão melancólica de “Burial” de Peter Tosh. Muitos outros trabalhos desta fase de ouro do estilo “Rockers” pode ser apreciado em coletâneas como a da RAS Records “Pablo Presents Story”, com o inacreditável Ras Bull e os Immortals fazendo uma versão de uma canção de Lennon e McCartney jamais gravada pelos Beatles: “World Without Love”, e álbuns como “Rockers Meet King Tubby In A Fire House”, “Rise Sun”, entre outros.

Augustus Pablo estava constantemente estabelecendo novos padrões, em busca de novas ideias. Outra coisa que Pablo tinha em seu favor, era sua habilidade fantástica para ‘implicar’ com vocalistas improváveis ou desconhecidos para cantar ou ‘torrar’ por cima dos riddims, não só oferecendo ao público boa música, mas também a oportunidade de ouvir o que essas pessoas poderiam fazer dada a oportunidade. Talvez o exemplo mais bem sucedido desta seja Jacob Miller, que, sob a influência de Pablo deu ao reggae pérolas como “Keep On Knocking”, “Each One Teach One”, e “Who Say Ja No Dread”. Dillinger é outro artista que Pablo capturou em sua melhor fase, além de Hugh Mundell e Tetrack - suas descobertas mais emocionantes – até hoje são realizadas na mais alta estima por parte dos apreciadores do reggae. Outros artistas como Heptones, Locksley Castell, Ricky Grant, Delroy Williams e Norris Reid também se reuniram com alguma fama nos riddims de Pablo.
Os cantores com que Augustus Pablo teve suas associações mais frutíferas foram Junior
Hugh Mendell e Augustus Pablo
Delgado e Hugh Mendell. Um dos últimos exemplares dessa época foi o estupendo álbum de Mendell, “African Must Be Free By 1983”, da gravadora RAS Records. Mendell foi talvez a grande descoberta de Augustus Pablo e este foi certamente o melhor trabalho de sua carreira. A morte prematura e estúpida de Mendell (segundo o pesquisador Steve Barrow acontecida durante uma briga por uma geladeira) abalou Pablo, e isso marcaria o início de um período mais discreto, o que seria acentuado pelas novas exigências do mercado, com a chegada arrasadora do dancehall.
Embora o período mais consistente e criativo de Pablo tivesse diminuído os registros fortes ainda continuaram a aparecer em “Rockers” e no rótulo mais recente “Message”. O espírito “roughhouse” (alvoroço, escandaloso) das últimas duas décadas poderia não ser propício para a abordagem descontraída de Pablo, mas ele é emitido com boas músicas através de Junior Delgado, bem como Bunny Brissett, Yami Bolo, Spliffy Dan, Blacker T. e Johnny Osborne. Em relação aos seus próprios passeios durante esse período, Pablo nem sempre foi capaz de manter o padrão de seus melhores trabalhos. No entanto, apenas quando os conhecedores de reggae estavam escrevendo Pablo off, sua reputação foi restaurada com a década de 1990, lançando “Blowing In The Wind”, muito aclamado.
Pablo passou os seus últimos anos cuidando de sua loja de discos e lançando obras esporádicas. Vivia tranquilamente com a família em uma casa nas colinas próximas a Kingston, até ser acometido por um mal raro e incurável, onde perdeu a memória, vindo a falecer no dia 18 de maio de 1999, deixando dois filhos, Addis e Isis, e a companheira Karen Scott.
Augustus já em seus últimos anos de vida

Augustus com seus filhos Addis e Isis

A importância de Augustus Pablo para a evolução do reggae talvez nunca venha a ser devidamente reconhecida, mas o seu legado felizmente continuará a embalar os nossos dias e noites, nos inspirando com suas melodias inconfundivelmente belas.
O que nos deixa mais felizes é saber que esse legado deixado por Augustus Pablo, tem um seguidor ilustre, que vem demonstrando com maestria que o amor pelo reggae e o talento para tocar a melódica (escaleta) estão em seu sangue, em suas raízes. No reggae, felizmente essa raiz familiar permanece viva e forte, resistindo ao tempo. Foi assim com Bob Marley, Peter Tosh, Gregory Isaacs e tantos outros importantes nomes da música reggae, e agora com Augustus Pablo, através de seu filho Addis Pablo.
Addis Pablo
Nascido em Redbank, Nova Jersey, Estados Unidos, Addis Pablo Swaby, em algo um tanto esperado, decidiu seguir os passos do pai, uma decisão corajosa e difícil, considerando o status que seu pai alcançou e mantém até hoje em todo o mundo. No entanto, depois de ter sido criado por seu pai em um ambiente musical em Orange Street, recebendo os ensinamentos e costumes expressos por ele, e que continuou a ser mantido por sua mãe, Karen Scott, que é e foi fundamental no falecimento de seu pai. Addis se tornou Cofundador e Coprodutor de dois selos – Brands Suns of Dub e One Motion Music – nos quais ele pretende ser capaz de tocar sua escaleta e produzir música com o mesmo efeito que o seu pai teve e tem grande reputação e sucesso, ele sabe que ainda há muito a se fazer e está disposto a colocar todo o seu tempo e esforço para elevar suas habilidades aos níveis mais altos, com ajuda de suas crenças e princípios espirituais e educação religiosa que recebeu, através dos ensinamentos rastafári.
A irmã de Addis, Isis Swaby, ao lado do tio Gath Swaby, cuida da lendária Rockers
Isis Swaby e Addis Pablo
International.
Addis começou a praticar e realizar os seus trabalhos em 2005, vindo a desempenhar no tributo anual de seu pai com os membros do Rockers International, Earl Chinna Smith & Inna De Yard Allstars e músicos mais jovens que ele vem trabalhando, como Cali P, Chronixx, Jah 9, Kelissa & Jesse Royal, que ele gravou ou dublou de alguma forma. A partir desse momento, Addis realizou vários shows na Costa Leste dos Estados Unidos com “Dub Reggae Band” (Proof Dub), tendo aberto shows para vários artistas como “The Mighty Diamonds”, “Michael Rose”, bem como Kenytta Hill, filho da lenda do reggae “Culture”.
Em 2010, Addis juntou-se com o produtor Trindadian/Selecta & Manager “Rasjammy Triniyard”, pôs em muito trabalho para produzir o seu próprio “Rockers Reggae Melodica Tracks”, bem como a criação de um som com Ras Jammy “Suns of Dub”, apresentando Dub Reggae em um estilo New Age com mesmo efeito e sensação tradicional. Addis Pablo começou seus lançamentos com a Digital dub Roots Compilations em 2011 e 2012, “For The Love Of Jah”, com Ginjah, Norris Man e outros, e “13 Months in Zion” com Kelissa, Zebulum, Cali P e outros, juntamente com um lançamento mais tarde do single digital “Let I Be”, disponíveis em várias lojas online. Addis também tem trabalhado em vários projetos individuais de escaleta, EP e álbuns com diferentes etiquetas e produtores, como VP Records, Inner Cicle, Rory StonLove, Pura Vida, Black Redemption, Gabre Selassie e em 2013 com a holandesa de Amsterdam Powershouse Jah Solid Rock Production.

Colocando foco em Suns Of Dub em 2013, Addis com Ras Jammy tem pré-lançado mais de 100 faixas como single em EPs em sua página do SoundCloud (www.soundcloud.com/sunsofdub), que reúne já quase 50 mil seguidores no seu movimento. Ainda em 2013 veio o seu álbum de estreia pela Jah Solid Rock Production, intitulado “In My Fathers House” (Na Cada de Meu Pai), uma viagem às raízes da música reggae, com misticismo e música de altíssimo nível, sem falar na escaleta afiada de Addis, uma pedra.
Addis com Ras Jammy, pelos rótulos Suns Of Dub, Brand Sound e outras entidades de sorte, lançaram vários gêneros e tipos de sons, focando principalmente em Dub e New Age Dub Reggae, antecipando lançamentos de vários projetos ao longo dos três últimos anos, e mais de 30 com liberação entre 2013 e 2014, realizadas por Digital & Vinil Projects; “Inna De Yard Riddim” com Shamala Productions, “Journey to Baltimore”, Rasta Rise Again”, “Sounds of Dub Meets Rockers International LP”, “The Russiam Experiment”, e muito mais EPs especiais, que tem influenciado ou contribuído para países como Índia, México, Japão, Rússia e muitos outros.

Addis tem tocado e produzido com a mesma intenção e inspiração que recebeu de seu pai, e até agora suas tentativas de seguir os seus passos tem sido muito bem sucedidas. Ele tem a consciência de que ainda há muito a ser feito, mas com o esforço e coragem que ele tem colocado em seus trabalhos, com o espírito de inovar sem perder as raízes, os resultados não poderiam ser diferentes. Temos o prazer de ter o filho de uma das maiores lendas do reggae carregando um grande legado e responsabilidade, com muita competência e talento. Não se comparando ao pai, mas sem esquecer os seus ensinamentos, ele tenta escrever o seu nome na história da música reggae, o que é importante, o mantendo sempre vivo e ainda mais forte.

Fonte:
https://www.facebook.com/addispablomusic

Download da Semana (62) – Augustus Pablo – King Tubby Meets Rockers Uptown (Deluxe) + Addis Pablo – In My Fathers House

Nessa semana temos um download de luxo, onde as raízes da música são passadas de pai para filho. O primeiro álbum é de Augustus Pablo, “King Tubby Meets Rockers Uptown”, esse álbum é um dos maiores clássicos da música reggae, um álbum de Dub mixado por King Tubby e que conta com a participação dos irmãos Barret e Robbie dos Wailers, além de arranjos e metais de Bobby Ellis e a clássica melódica (escaleta) de Augustus. Essa é a versão “Deluxe”, que traz mais quatro faixas do que a versão original. Aqui destaco canções como “Each One Dub”, “Stop Them Jah”, “King Tubby Meets Rockers Uptown”, “Frozen Dub” e “Satta Dub”. O segundo álbum é de Addis Pablo, “In My Fathers House”, lançado em 2013, seu álbum de estreia e que teve grande aceitação. É um excelente álbum que prova que o seu talento está no sangue, o legado ficou em boas mãos. Aqui destaco as ótimas “Evolution”, “In A Di Gideon”, “Giving Thanks”, “To The Chief Musicians” e “In My Fathers House”. Esse download é um presentão, pesadíssimo.


  • King Tubby Meets Rockers Uptown (Deluxe)


  • In My Fathers House

sábado, 22 de novembro de 2014

Nuttea

Explorando a diversidade da cena reggae, nessa semana trazemos um artista de Paris, que
mistura o hip-hop ao reggae, ele é Nuttea.
 Conhecido como Daddy Nuttea ou simplesmente Nuttea, cujo nome verdadeiro é Olivier Lara. Nascido em 1 de Janeiro de 1968, cresceu em Guadaluope, criado por seus avós, chegando a Paris aos seis anos. Desenraizado, ele conheceu os seus pais e irmã que ele nunca tinha visto. Já adolescente em busca de identidade, ele vive em uma cidade do décimo terceiro “distrito” de Paris, onde ele é confrontado com o crime e as drogas, que mais tarde irá inspirá-lo ao título “Encore Une Tombe à Fleurir”.
Na década de 80, Nuttea descobre o SKA e o rocksteady em determinados selos jamaicanos, Studio One e Trojan. Ele estava particularmente interessado em reggae e dancehall, onde se tornou um verdadeiro crente. Naturalmente ele evolui através dos “Sound Systems” (sistemas de som). O primeiro que ele participa ao lado de Tonton David, Don Lickshot e Polino, intitulado “High Fight” em 1989, desenvolvendo um novo estilo, fiel às raízes do reggae. Depois disso ele formou o seu próprio sistema de som, com Standtall Polino.
Em 1992, ele se destaca em suas duas primeiras aparições discográficas, “Rapattitude 2” e “Ragga Dub Force”. No ano seguinte ele lança o seu primeiro álbum solo “Paris Kingston Paris” (Delabel). Onde realizou o seu sonho, gravando na Jamaica, e com os famosos produtores dancehall locais, Steely & Cleavie. As letras são metade em Inglês e metade em francês, mas infelizmente, o álbum passa quase despercebido. Nuttea não desiste, ele co escreveu com o grupo francês IAM, de Marselha, o título de “La 25e image” (A 25ª imagem) que aparece no disco que acompanha o lançamento do filme de Mathieu Kassovitz “la Haine” (Ódio).
Em 1996, o seu segundo álbum intitulado “Retour Aux Sources”, reflete as preocupações dos nossos direitos. O single “I´ Agitateur” (O Agitador) evoca o caráter rebelde do artista. Ele amadureceu e o seu estilo ainda mais. Com canções melodiosas, textos cantados ou torrados (fluxo de voz se aproximando do rap) e até mesmo acapela. Neste álbum produzido por Frenchie (Reggaesonic), figura “Alerte” (Alerta), um dueto com o artista Akhenaton (cantor francês de rap), uma ponte entre o reggae e o rap. Outro som desse álbum é “Natural Mystic” de Bob Marley, cantada com o jamaicano Richie Stevens.
Nuttea excursionou no ano seguinte. Nesse mesmo ano gravou com IAM “Un Cri Court La Nuit”, que foi lançado em um álbum. Essa parceria entre Paris e Marselha foi um sucesso que rendeu a assinatura da trilha sonora do filme “Taxi 2” em 2000. É provavelmente o primeiro passo para o público geral, uma vez que o filme foi um sucesso. O grupo formado por Nuttea, Dope Rhyme Sayer, Jalano, Tairo, Disis La Peste, Vasquez Lusi e o grupo IAM (Shurik’N, AKH e Freeman) era conhecido como “One Shot” (Um Tiro).

Em agosto de 2000, o “novo” Nuttea estava nas lojas com o seu álbum “Le Signe dos Tempos” (O Sinal dos Tempos), gravado em Paris e Filadélfia, sendo bem sucedido. O primeiro single “Elle Te Rend Dingue (Poom Poom Short)”, o ragga é um sucesso instantâneo que o colocou no topo das paradas. Neste álbum, Nuttea mostra a sua extensa gama musical. Com a “Sonate Pour Un Sound Boy”, que é acompanhada pela Orquestra Filarmônica de Paris, enquanto em “The Key” ele canta com nada menos do que o jamaicano Luciano. O sucesso com o público em geral finalmente está aqui: 500 mil cópias vendidas do single “Elle Te Rend Dingue” e mais 150 mil do álbum.
Mas esse número quase triplicou em poucos meses, chegando em 400 mil copias vendias em outubro de 2002. Dado este êxito, sua gravadora lançou um mini CD dos cinco títulos mais importantes de sua carreira: “Unité”, “Elle Te Rend Dingue”, “Trop Peu De Temps”, “Le Show”, “Couvre-là” com UB40. Em vendas acumuladas, esses títulos já venderam mais de 2 milhões de cópias desde o lançamento.
Em junho de 2004, com o produtor do Fugees, Handel Tucker, vem um novo álbum, “Urban Voodoo”. Uma verdadeira fórmula musical que lhe permitiu ser conhecido ao público em geral, entre reggae e rap.
O impacto limitado do álbum levou Nuttea a dar uma pausa em sua carreira por alguns anos. Ele retoma sua carreira de onde começou: os sistemas de som, o ambiente onde sua reputação está intacta e é uma experiência sempre apreciada, o que permite que ele seja regularmente tocado em toda a França.
A partir de 2009, ele reaparece em várias compilações especiais, como: “Angel Riddim” e “Heat Riddim”. Apresentou-se também como atração principal do “Reggae Donn Sa Festival” nas Maurícias em novembro de 2010. No ano seguinte, se apresentou no palco do Zenith, em Paris, durante o show do grupo francês Danakil, que o convidou na ocasião.
 No início de 2013, depois de nove anos sem lançar um álbum, Nuttea lança “Mister Reggae Music”, projeto que ele mesmo produziu e gravou nos Estados Unidos, onde ele alterna cantando e mandando suas rimas como um DJ reggae. Uma canção que ele havia tomado emprestada de Bob Marley, “Natural Mystic”, em uma versão francesa na época de “Retour Aux Sources”, se aplica nesse momento a canção “Silhouette” do grande Dennis Brown.
 A tradição de convites recíprocos com IAM continua, através da presença de Akhenaton e Shurin’N, enquanto Balik, cantor do grupo Danakil foi convidado para um duo que soa como a passagem de um bastão, “Gardien Du Temple”.
Poucos meses depois, Nuttea foi para a Polinésia Francesa, pra uma série de concertos e partiu no final do ano para uma turnê hexagonal com uma dúzia de datas, organizada por Dragon Davy, juntamente com Brahim e Sir Samuel.
Aos 46 anos, o veterano Nuttea está em plena forma, pronto para provar a indústria fonográfica que ainda tem seu público e experiência. Ele é responsável por toda sua composição e produção de sua obra, o que por si só já prova tudo isso. Nuttea está está de volta nas baladas reggae.

Fonte:
http://www.rfimusique.com/artiste/reggae/nuttea/biographie

Download da Semana (61) – Nuttea – Mister Reggae Music

Esse download traz a volta de Nuttea aos estúdios e em plena forma, com composições e produção própria ele nos trouxe “Mister Reggae Music” após nove anos sem gravar. O álbum traz uma diversidade de gêneros, como reggae e rap, com batidas pesadas bem ao estilo Nuttea. Destaco as faixas “Héros”, “Prends Ma Main”, “Silhoutte”, “Tsunami”, “Gardien Du Temple” e “Hexagone”.

sábado, 15 de novembro de 2014

Fortunate Youth


Fortunate Youth é uma colaboração da banda reggae South Bag. Formada através de outras bandas, eles criaram uma fenomenal obra-prima de seis peças, trazendo mais fogo do que nunca para os palcos. Combinando vibes roots e linhas de baixo únicas, unidos com várias harmonias, solos de guitarras barulhentas e pesadas, chaves que separam Fortunate Youth de qualquer outra banda reggae do mainstream (corrente de moda ou estilo ao gosto da maioria, aquilo que está “bombando”, muito popular). Com sua alta abordagem, energia e presença de palco positivos, que proporcionam um show inesquecível para todos os fãs de música. O objetivo de Fortunate Youth é o de assegurar um desempenho que deixe você eufórico e curioso do que pode acontecer no próximo show.

Em 2011, eles apoiaram Tribal Seeds em âmbito nacional pela turnê “Tribal Youth Tour”, para espalhar a sua música consciente para a nação. Fortunate Youth se uniram com The Green, do Havaí, para uma corrida pelo Centro-Oeste e Costa Oeste americana, antes de saltarem de volta para os estúdios para gravar. Naquele ano eles atingiram as massas promovendo apenas as 6 canções do EP “Lifted Up – EP”, lançando mais tarde em 1 de julho de 2011 seu álbum completo, “Irie Stand Of Mind”. Fortunate Youth também esteve fortemente em turnê até o fim de 2011, incluindo ainda um lançamento no CD “Nationwide Released Summer Tour”.
Após o lançamento de seu segundo álbum completo, que rapidamente subiu para posição #2 nas paradas do iTunes Reggae e também mantendo por muito tempo a posição #13 na Billboard Top 100 Albums Reggae. Recebendo grandes elogios para o inicio do sucesso de Fortunate Youth, que se esforça para espalhar sua interpretação do Reggae para os amantes da música em todo o mundo.



Fortunate Youth excursionou fortemente em 2012, apoiando cabeças como The Expendables e Tribal Seeds. A banda também encabeçou seu próprio “Nationwide Summer of Sweet Love Tour”, provando que eles podem puxar seu próprio peso também. Fazendo sua primeira partida internacional, Fortunate Youth fez quatro shows na Costa Rica, espelhando o amor pela música reggae internacionalmente.
Em 2013, o lançamento do álbum “It´s All A Jam”, bateu inúmeros gráficos, incluindo a posição #1 na Billboard National Reggae, #10 Billboard Pacific Heatseekers Chart, #23 Billboard National Heatseeker Chart e #46 do iTunes em geral.
Em seguida ao lançamento do álbum, Fortunate Youth partiu para diversos shows pela “Headline Tour” em que muitos shows foram vendidos pelo país afora, incluindo a incrível “Cali Roots Festival” de Monterey, CA.
Eles tiveram a honra de dividir o palco com bandas como Groundation, Toots & Maytals, The Green, The Wailers, Katchafire, The Expendables, Pepper, Dirty Heads, Natural Vibrations, Tomorrow Bad Seeds e Sashamon.
Para quem ainda não conhecia a banda Fortunate Youth está aí, pacote completo com biografia e download da semana. Mais uma banda californiana talentosa que desembarca em nosso blog, com seu som pesado de guitarras, baixos e letras positivas.

Membros:
Dan Kelly- Líder Vocal
Travi Bongo - Percussão
Jered – Teclado / Baixo
Greg – Baixo / Guitarra
Corey – Guitarra / Baixo / Teclado
Jordan - Bateria

Fonte:
http://www.fortunatemusic.com/#!info/c161y